top of page

XXX – O Respeito Humano - Uma verdadeira traição - Trai os fiéis e a si próprio


O Respeito Humano

É uma verdadeira traição

Trai os fiéis e a si próprio


II – Trai os fiéis


Nos tempos das perseguições, se um cristão renegasse a fé, todos os cristãos lamentavam a sua queda; e se animavam a sofrer o martírio, para reparar o ultraje feito à religião por aquele infeliz. Agora, entretanto, os apóstatas do respeito humano suscitam com seu escândalo uma turba de outros apóstatas. É um fato doloroso a que infelizmente nos cabe assistir. Os libertinos, que se entregam aos vícios sem reserva, excitam com sua conduta mais horror do que escândalo; não assim os que emparelham as máximas da religião aos abusos do mundo. Estes são facilmente seguidos pelos outros, que, vendo o seu exemplo, persuadem-se de que se pode respeitar a religião e ao mesmo tempo ficar longe da Igreja e dos Sacramentos, ler jornais de qualquer cor, pôr-se em companhias perigosas para a fé e para os costumes... Também estes, com seus mestres, fazem o que prescreve o mundo, embora em contradição com sua consciência; e assim por sua vez se tornam mestres de falso cristianismo para os outros: e entrementes se enche a terra de falsos cristãos que gostariam de conciliar o inconciliável: a luz com as trevas, a justiça com a iniquidade, Jesus Cristo com o mundo. Eis a ruína entre os fiéis; os quais por causa do respeito humano abandonam as igrejas, os Sacramentos, as práticas religiosas, e até a justiça e a honestidade! E quase não se distinguem mais dos turcos e infiéis.


III – Trai a si próprio


A vítima do respeito humano acaba, afinal, por trair a si própria. Quem é o homem dominado pelo respeito humano? É alguém que não ama o vício, mas que, para agradar ao mundo, está disposto a todos os vícios. Adão, para não desagradar à consorte, come o fruto proibido, e arruína a si e ao gênero humano. Aarão, para não desagradar ao povo hebreu, faz um bezerro de ouro para se adorar em vez de Deus. Herodes, para não desagradar aos comensais, faz decepar a cabeça de S. João Batista. Pilatos, para não desagradar aos judeus, condena Jesus à Cruz. Em suma, o homem do respeito humano é capaz de qualquer mal, para não desagradar ao mundo, seu tirano.


O pior é que não pensa em se regenerar de seu mal. E embora não goze prazer algum ao pecar, porque peca contra o seu gosto e com toda a repugnância, contudo não deixa de pecar, para não desagradar ao mundo, seu tirano. Eis como trai a si próprio. Gostaria de converter-se, mas não tem a coragem de o fazer, porque não ousa enfrentar os mexericos do mundo; e assim prefere viver na desgraça de Deus, mas não da desgraça do mundo. E vai levando assim até a morte.


E na morte o que faz? Desejaria os Sacramentos, mas teme ainda fazer rir o mundo. Adia de hoje para amanhã, e entrementes o mal o priva dos sentidos. Então, os de casa correm ao sacerdote, mas que pode fazer o padre por um moribundo que se tornou como que um toco de lenha? Vem a morte, e joga na eternidade. Mas em qual eternidade? Ai de mim! Quantos escravos do respeito humano não são jogados na eternidade do inferno!


Conclusão


Jovens! Deixar-nos-emos vencer pelo respeito humano? Nós, para dar prazer ao mundo, botar-nos-emos no inferno? E quando estivermos lá dentro, tirar-nos-á dali o mundo?


Guerra ao respeito humano!


E quando o mundo quiser impor-se à vossa consciência, respondei que quem vos premia é Deus; que só tendes uma alma e que pretende salvá-la a todo custo!


Guerra ao respeito humano!


E se o mundo com ar de escárnio vos pergunta por que ides à Missa, por que vos confessais, por que fazeis a Comunhão, por que não participais de divertimentos ilícitos, respondei uma só palavra: “Porque sou Cristão!”. Seja esta a vossa palavra de ordem e a vossa glória! E por que se envergonhar de ser irmãos dos Mártires, que não se envergonharam de dar o sangue pela fé cristã? Por que se envergonhar de evitar o mal e praticar o bem? Deixai rir o mundo. Ri altaneiro quem ri por derradeiro. Mais algum tempo, e seremos coroados de eterna glória no Céu.


(Extraído do livro A Palavra de Deus em Exemplos, G. Montarino,

Do original La Parole di Dio per la Via d’Esempi)

Comments


*Os artigos publicados de autoria de terceiros não refletem necessariamente a opinião do Mosteiro da Santa Cruz e sua publicação atêm-se apenas a seu caráter informativo.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos, ilustrações ou qualquer outro conteúdo deste site por qualquer meio sem a prévia autorização de seu autor/criador ou do administrador, conforme LEI Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.

bottom of page